História de Jair Dutra Rodrigues

Nesta edição do Informativo do Sindicato Rural de Passo Fundo vamos conhecer um pouco mais da história de Jair Dutra Rodrigues. Ela começa com seu pai, Plínio, e outros cinco irmãos, em uma propriedade de oitenta hectares, que ficou pequena para todos, abrindo novos horizontes para quem buscava mais trabalho e renda no campo.
Foi em 1964 que o Sr. Plínio comprou 27 hectares na cidade de Pontão, primeira área conquistada por seu próprio esforço e paga com algumas economias da produção de trigo, que era o único produto mais rentável, na época. Também contou com dinheiro emprestado de bons amigos, vizinhos e, em certa ocasião, até mesmo com dinheiro de um padre.
Hoje, a família possui 890 hectares quem em parte, foram adquiridos pelos pais de Jair e, o restante, por ele e seu irmão e sócio, Plínio Dalmir. A propriedade está localizada às margens da RS 324, Km154, três quilômetros antes da cidade de Pontão. Toda ela em área contínua, onde são produzidos, no verão, soja, milho indústria, milho para silagem e milheto para pastagem, e, no inverno, aveia preta para pastagem e aveia branca para servir no cocho aos bovinos. No local, também é produzido mel de abelha, erva-mate, feijão, peixes, hortaliças, uva, húmus de minhoca, frango, ovos, frutas, carne de suínos, carne bovina, mandioca, entre outros, para consumo próprio. “Escolhemos este tipo de produção por achar que é o mais rentável e mais adequado para a lavoura e integração com pecuária”, comenta Jair, que é o administrador do local. Outra área pertencente à família fica no Pará, e quem toma conta é seu irmão.
Para Jair, o que mantém a sua terra produtiva são os 25 anos de plantio direto na palha. Também há alguns anos trabalham com agricultura e precisão, sempre fazendo análise do solo.

familia-jair

“Isso deixa a terra equilibrada no inverno. Sempre temos em torno de 400 cabeças de bovinos, mas nunca deixamos ficar sem palha na terra pós-pastoreio”.

Veja um bate-papo do produtor com nosso Informativo:

Informativo Sindicato Rural – Você acredita na importância do uso e investimento em tecnologia no campo?

Jair Dutra Rodrigues – “Hoje é necessário investir em tecnologia para produzir cada vez mais”.

Informativo Sindicato Rural – É preciso manter a vida junto ao campo e à propriedade?

Jair Dutra Rodrigues – “O proprietário deve estar junto ao trabalho diariamente. Ao mesmo tempo, nós, hoje, não moramos mais na propriedade, tivemos que vir para Passo Fundo para as filhas estudarem”.

Informativo Sindicato Rural – O êxodo rural, durante muito tempo, foi preocupação do agronegócio. Você acha que essa questão não é mais um problema?

Jair Dutra Rodrigues – “O êxodo rural ainda é problema, principalmente quando precisamos de funcionários qualificados. Hoje, a grande maioria está migrando para os grandes centros, atraídos por programas sociais, abandonando o campo e, muitas vezes, levando seus pais juntos e, para isso, vendendo a sua pequena propriedade”.

Informativo Sindicato Rural – Quem vem na sucessão de sua propriedade?

Jair Dutra Rodrigues – “Tenho duas filhas: a Vanessa, que tem 22 anos e está cursando Medicina, e a Valéria, que tem 18 anos e está cursando Medicina Veterinária, e é ela quem vai me suceder”.

Informativo Sindicato Rural – A sua família tem vocação para a lavoura?

Jair Dutra Rodrigues – “A minha família sempre participou da evolução da agricultura. O amor pela terra passará por gerações!”.

Informativo Sindicato Rural – Como você vê o atual momento da agricultura? E como imagina o futuro?

Jair Dutra Rodrigues – “O momento da agricultura é de grande evolução. Cada vez produzimos mais, mas com mais custos. No futuro, deveremos pensar bem no que vamos produzir e como vamos produzir. Teremos, ainda, grandes problemas a enfrentar, especialmente em relação ao meio ambiente, carga tributária, questão indígena e MST”.