Sindicato Rural de Passo Fundo sedia reunião Câmara Setorial do Trigo do RS

Soluções e incentivos para a valorização da triticultura gaúcha foram debatidos durante a reunião da Câmara Setorial do Trigo do Rio Grande do Sul, realizada na quinta-feira (19), no Sindicato Rural de Passo Fundo. Com a presença do secretário da Pecuária, Agricultura e Irrigação do Estado, Ernani Polo, representantes da área da pesquisa, produção, armazenamento, cooperativas e indústria debateram a evolução da organização do setor, visando melhorias para incentivo à produção e rentabilidade do produto.

A necessidade da segregação do trigo é uma das definições tomadas, o que deverá aumentar a liquidez e o preço de venda. Um plano de segregação foi apresentado na reunião, dividindo o trigo em categorias como: pão branqueador, trigo pão, doméstico e biscoito. A medida já é adotada pelos principais produtores mundiais do cereal. “Reconhecemos o trabalho do grupo estabelecido e já avançamos bastante neste processo, dando novos passos em relação à armazenagem. Estamos todos dentro de um mesmo movimento e precisamos do entendimento de todas as áreas envolvidas”, destacou o secretário.

“Este é um grande avanço e a primeira etapa de um processo muito maior de valorização e qualidade do trigo gaúcho. Agora, precisamos tratar da retirada do excedente de produção do estado para o mercado interno. Isso passará, necessariamente, pelas modificações das leis de cabotagem. O mercado externo deverá ser visto como nova opção a ser conquistada”, disse o presidente da Comissão de Grãos do Sindicato Rural de Passo Fundo, Júlio Susin. Ainda conforme Susin, com a segregação, o produtor poderá fazer um melhor planejamento de safra, sabendo o que será plantado e onde entregar a produção.

sindicato-rural-news

Reuniões periódicas debatendo o tema vem sendo realizadas há cerca de cinco anos pela Comissão de Grãos do Sindicato Rural de Passo Fundo. Alternativas para a retirada do excedente de produção do Estado também têm sido debatidas pela cadeia do trigo, assim como novas formas de comercialização rentável. A Câmara Setorial do Estado segue no mesmo alinhamento para tornar realidade o trabalho que vem sendo realizado.

Foto – Fabiana D. Rezende